Motociclismo no Acre
   
 
BRASIL, Norte, RIO BRANCO, Homem, Motociclismo e muita adrenalina
 

  Histórico

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
  Mande sua mensagem para e-mail: cassianomarques@uol.com.br
 V Rally Internacional Bolpebra Amazônia Andes
 Acesse os regulamentos da FEMAC
 Federação de Motociclismo do Estado do Acre
 Acesse as fotos da FEMAC
 CBM - Confederação Brasileira de Motociclismo
  ULM - União Latinoamericana de Motociclismo
 FEDERATION INTERNATIONALE DE MOTOCYCLISME (FIM)
 Rally Dakar - site oficial
 Star Motos & Acre Motors
 Jornal Página 20
 Motox
 Rondocross
 Jornal Jeca Jóia off-road
 Secretaria Extraordinária de Esportes do Acre
 Associação dos Cronistas Esportivos do Acre (ACEA)
 Mancini Cronometragem e Resultados




 

 
 

VI RALLY INTERNACIONAL BOLPEBRA AMAZÔNIA

A 6ª edição da maior prova off-road da Amazônia foi um sucesso. Recorde de pilotos inscritos (84), largando 78 nas categorias moto, quadricíclo e carros 4x4 (sendo esta de regularidade).

Cassiano Marques, que também é secretário de
estado de Esporte, Turismo e Lazer do Acre, 
durante o 1º brieffing,
agradecendo a participação
dos pilotos e equipes

O formato de 3 dias agradou a todos: pilotos, equipes de apoio e pilotos. Foram 1050km, sendo 562km de especiais, todas fechadas ao trânsito e por estradas alucinantes, muito técnicas. Ainda teve um pouquinho de chuva, deixando uma das especiais do 2º dia escorregadia e favorecendo àqueles que enrolam o cabo sem medo de ser feliz ...

Cassiano Marques acelerando tudo que a CRF 230 tinha prá dar. Foto: Paulo Andreoli

Participei da prova com a moto #13, pela equipe Trilhas do Acre Rally Team, juntamente com os pilotos Antônio Teles # 4 e Ari Palu Jr #5, todos de CRF 230 e apoiados pelo chefe de equipe Walterlande Verçosa, mecânico Ferrugem e apoio Ronaldo Galego, tendo me inscrito na categoria Força Livre Nacional.

Na primeira especial do 1º dia, no resultado geral, fiquei com o 3º lugar. Confesso que até eu fiquei impressionado, pois muitos pilotos experientes estavam andando forte, mas tiveram – soube depois – erros de navegação. Na segunda especial o suporte do equipamento de navegação literalmente não agüentou a trepidação e quebrou, me obrigando a correr mais da metade da especial segurando o equipamento com a mão esquerda e apoiando o cotovelo esquerdo no guidão. Reparei o suporte numa oficina na Vila do V e parti para a 3ª especial, mas infelizmente essa veio a ser posteriormente cancelada pela organização porque alguns pilotos cortaram caminho, num trecho que era para ter um bloqueio da organização. Ainda assim no final do dia, o fiquei em 22º na geral, com o tempo de 59mi59seg e 15min09seg atrás do líder Joao Tagino, e  3º lugar na categoria, apenas 6min49seg atrás do líder do dia na categoria Rui Rodrigues.

Cassiano Marques de cabo enrrolado nas curvas, reunindo técnica e coragem. Foto: Paulo Andreoli

No segundo dia, andei forte nas 1ª e 2ª especiais, mas na 3ª especial novamente o suporte do R2 que segura o Compass não agüentou e quebrou-se parcialmente, ainda no início e novamente tive que terminar acelerando com uma mão e segurando o equipamento com a outra (destaco que, graças a Deus, não levei nenhum tombo). Na 4ª especial, o suporte improvisado também não agüentou e rodei no limite de segurança para terminar com o equipamento agora no colo.

Antes da última especial – a mais longa do rally com 105 km – minha equipe improvisou um jeito de fixar o Compass e deu certo, conseguindo acelerar firme. O resultado foi que terminei o dia em 5º lugar, com o tempo de 3h01seg45min e 10min38seg atrás do líder do dia na categoria Cristian Rosolen.

No último dia – e maior deles – logo após cerca de 10km da cidade de Brasiléia estava a 1ª especial totalmente técnica com incontáveis erosões profundas, lombas de decolar e muitas pontes precárias. No final dessa especial de 76km o cansaço bateu e para a largada da especial seguinte – cerca de 5 km depois – decidi que iria me poupar para terminar o rally como planejado e bem: sem nenhum tombo e me divertindo muito! Acho que foi nessa especial que acabei perdendo o rally, pois além de ter literalmente passeado – eram em torno de 75km – ainda errei uma entrada e andei cerca de 10km ida e volta até a trilha certa. Mas essa especial foi a mais bonita da prova, toda no interior da reserva Extrativista Chico Mendes e com um corredor estreito ladeado da floresta amazônica por quase todo o percurso. Há, ia esquecendo, o R2 quebrou de novo, agora com pane elétrica no motor, me obrigando a “esfolar” o dedo indicador da mão esquerda de tanta força que fiz para rodar a planilha até chegar a Rio Branco.

Da esquerda para direita: Cassiano Marques, 4º lugar; Cristian Rosolen , 2º lugar; 
Rui Rodrigues, Campeão;  João Chagas, 3º lugar; e
Omilson Clayton, 5º lugar.
Foto: Paulo Andreoli

 Conquistei o 16º lugar na geral e 4º na minha categoria com o tempo de 9h07min59seg, atrás de três Tornados 250cc e apenas míseros 26 segundos atrás do piloto João Chagas, da equipe KCTB de Rolim de Moura/RO. Do campeão, fiquei menos de 20 minutos atrás e computando o seu tempo total de 8h48mine45seg, o que considero um feito e tanto.

Fiquei muito feliz com o resultado, especialmente porque comecei a me preparar somente há três semanas antes da prova (pedalando pelas ruas de Rio Branco e malhando na Park Fitness Academia, sob orientação do professor Jair, e fiz apenas um treino de moto por quatro horas e cerca de 250km, além de acelerar minha CRF 230 stand, sem qualquer alteração no motor.

A integração da equipe Trilhas do Acre Rally Team foi ótima, nos motivando manter o grupo para a temporada off-road de 2009 e que contou com o apoio da Honda Star Motos e JB Grill Churrasco e Buffet.

A chegada no Parque da Maternidade foi sensacional, com direito a estouro de champanhe oportunamente providenciado pela Caterina, esposa do companheiro piloto Antônio Telles, e a confraternização que se seguiu com os demais participantes do rally – pilotos, imprensa, organização e equipes de apoio.

Confraternização foi geral. Foto: Paulo Andreoli

O Bolpebra é motociclismo na essência. Tem competição, mas tem muita amizade e companheirismo. Talvez por não se entregar as facilidades do capital e das provas comerciais – não que o dinheiro para financiá-la não seja bem vindo – mas porque aqui no Acre ainda fazemos rally com amor ao esporte.

Parabéns ao Jefferson Cogo, presidente da da FEMAC, pela determinação de dar continuidade à prova por nós idealizada e realizada nas cinco primeiras versões, e ao Ruben Ortiz pela direção técnica, organização e segurança, que contou com o apoio do Exército Brasileiro. Agradeço também a todos os voluntários; à minha equipe da Secretaria de Estado de Esporte, Turismo e Lazer do Governo do Acre pelo engajamento na organização do evento; ao pessoal do SAMU e do Corpo de Bombeiros que estavam sempre presentes, nos dando confiança de que caso algo ocorresse estariam por perto para nos auxiliar; aos patrocinadores privados que acreditam no esporte e na sua promoção; à imprensa, com especial destaque a equipe da TV Aldeia; à população em geral que prestigiou o evento, com o agradecimento pela compreensão aos moradores das áreas por onde passou o rally por terem tido a paciência de aguardar o fim das especiais para se movimentarem pelos ramais.

Agradeço também à Deus - olha que foi muito invocado e certamente por todos os pilotos em diversos momentos - e a Socorro Camelo, minha esposa, a Mariana e a Janaína, minhas filhas,  que ficaram em casa torcedo para que tudo desse certo e deu !

Até o próximo !



Escrito por Cassiano Marques às 12h25
[envie esta mensagem
] []


 

 
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]